DMC & Events (Destination Management Company)

Ilhas Maurício

Ilhas Maurício – Pérola do Índico

O real significado de beleza pode traduzido nas Ilhas Maurício, conhecida como pérola do Oceano Índico. Suas paisagens paradisíacas com floresta, montanhas, lagoas, praias com águas cristalinas e mornas, em tons exageradamente turquesas e esmeraldas ficarão para sempre na memória dos visitantes. Mas é possível apreciar outros encantos também, entre eles, os detalhes históricos, a mistura de culturas e autenticidade de uma ilha tropical africana.

Em Maurício, o povo é hospitaleiro, o sorriso largo é uma marca registrada. Lá o exotismo africano também encontra o luxo e alto nível de refinamento, não faltam opções de hotéis e resorts que disponibilizam uma infinidade de atividades para todas as idades, nas suas dependências ou nos arredores da ilha. Sem falar no serviço impecável, poderíamos chamar até o local de “Ilha das Mordomias”. Tudo isso contribui para que a experiência de viagem seja uma das melhores.

Esse pedaço de terra de 2.040 quilômetros quadrados já abrigou árabes, portugueses, holandeses, franceses, britânicos, indianos, chineses, e todo esse legado do período colonial é perceptível na cultura, nos cenários multicoloridos, na culinária, nas religiões cultuadas. A variedade lingüística também é facilmente perceptível nas ruas: placas de trânsito em inglês, anúncios publicitários em francês e o sotaque da população local ao se comunicar em línguas crioulas. Essa diversidade convive em perfeita harmonia e confere ainda mais charme ao país.

Sem dúvida, um destino perfeito para os casais apaixonados que desejam trocar alianças ou em lua-de-mel, para famílias com crianças e ainda indicado para os amantes de esportes aquáticos e natureza.

País insular, situado ao norte do Trópico de Capricórnio, não possui fronteiras terrestres, mas localizado a 800 quilômetros de Madagascar. A ilha foi formada há aproximadamente 10 milhões de anos pela erupção vulcânica sob o mar. As regiões de Mauricio estão divididas em central, norte, sul, leste e oeste.

Banhado por águas mornas de tons turquesa do Oceano Índico, as praias de areias brancas e as lagoas são protegidas e cercadas por recifes de corais coloridos em praticamente toda costa (3.030 quilômetros), com exceção da parte mais ao sul onde são encontradas águas mais agitadas e desfiladeiros.

Nas planícies do norte, a terra se eleva a um planalto central cercado por lagos azuis e crateras vulcânicas em extinção. Várias ilhotas inabitadas estão espalhadas ao redor da ilha principal. Vale ressaltar que não existe atividade vulcânica em Maurício, apenas um vulcão está ativo na Ilha Reunião e é conhecido como Piton de La Fournaise.

Embora faça parte do arquipélago Mascarenhas, um conjunto de atóis e ilhas como Reunião e Rodrigues, Maurício é o destino mais procurado da região. A população de Mauricio e das ilhas exteriores, incluindo Rodrigues, chega a 1,2 milhões e é composta por hindus, crioulos, chineses, muçulmanos e europeus.

Maurício possui florestas tropicais, com espécies de flora e fauna bem raras. Em nome do desenvolvimento econômico, grande parte da vegetação nativa de Maurício foi destruída devido à construção de habitações, plantações de cana-de-açúcar e pela introdução de espécies exóticas e não-nativas. Mas, há também áreas preservadas e estima-se que um terço das suas espécies endêmicas são exclusividade do país.

Está à procura de sol e calor? Esse é o destino certo em qualquer período do ano, pois as temperaturas variam, geralmente, entre 20 e 32°C. A estação seca compreende os meses de abril e outubro, quando as temperaturas estão em torno de 18-20°C, já no verão entre novembro e março os termômetros registram temperaturas ainda mais altas e podem alcançar até 35°C.

Por estar abaixo da linha do Equador, o clima é subtropical, bastante ameno e ideal para curtir as atrações naturais da ilha. Entretanto, na alta temporada (novembro a março) os custos são mais elevados e entre janeiro e fevereiro chove mais.

O idioma oficial é o inglês, mas o francês é amplamente falado e as línguas crioulas mauricianas. Hindu e Bhojpuri, considerado um dialeto do Hindu, são também muito usados. Como uma das bases da economia de Maurício é o turismo, muitos hotéis possuem funcionários que falam alemão, italiano e espanhol.

Os árabes descobriram Maurício no século 9 e os portugueses visitaram a ilha no século 16, entretanto, os holandeses foram os primeiros colonizadores e o nome da ilha foi uma homenagem ao príncipe Maurice Van Nassau. Em 1958, as florestas de ébano foram destruídas devido a sua grande exploração e o pássaro Dodo, que era abundante na ilha, foi exterminado. Mais tarde o animal se tornou o símbolo das espécies ameaçadas de extinção e da luta pela conservação no mundo.

Só em 1710 que os holandeses deixaram Maurício e perderam seu poder localmente, cinco anos depois os franceses dominaram a ilha, que passou a ser chamada “Ilha da França”. Nessa época, foi fundada Port Louis – que mais tarde se tornou a capital, pelo governador francês e colono Bertrand-François Mahé de La Bourdonnais. Entre 1715 e 1721, a ilha se tornou uma colônia próspera e uma rota marítima importante por conectar a Europa com o Cabo da Boa Esperança. Port Louis se transformou em base naval e foram construídas muitas pontes e ruas e outras grandes realizações datam deste período, como por exemplo: Casa do Governo, o prédio imponente que abrigava as forças militares (the Line Barracks), a imensa casa colonial chamada Château de Mon Plaisir (dentro do PamplemoussesJardim Botânico).

As guerras seguiram durante anos pela disputa do território entre franceses e britânicos. A maior batalha naval aconteceu em Grand Port, na costa sudoeste da ilha, em 1810. Inclusive, essa foi a única batalha naval que Napoleão Bonaparte ganhou e está gravada no Arco do Triunfo, em Paris. Porém, três anos depois os ingleses surpreenderam os franceses com um ataque ao norte da ilha e o governador francês General Charles Decaen foi rendido. Em 1814, o Tratado de Paris ratifica a questão de Mauricio, que passa a ser uma colônia britânica, além das ilhas Rodrigues e Seichelles. Em contrapartida, a Ilha Reunião, no oeste da ilha de Madagascar, retornou ao domínio francês. Foi a partir desse ano que a ilha voltou a ser chamada de Maurício e o inglês se tornou o idioma oficial, entretanto, o Tratado de Paris assegurou que fossem mantidas as línguas, religiões e as leis já existentes. É por essa razão que o francês ainda é amplamente falado, apesar da hegemonia britânica por mais de 158 anos.

Em 1835, os recentes escravos se recusaram a trabalhar nas plantações e isso foi o estopim para os britânicos aboliram a escravatura em todo território. A saída foi contratar trabalhadores originários da Índia, mas também chineses e muçulmanos foi atraídos para o litoral. Na primeira metade do século 19, Maurício recebeu muitos indianos vindos de Calcutá e Bombai que, esperançosos, buscavam oportunidades de trabalho nas plantações de cana-de-açúcar, uma das principais bases da economia mauriciana. Toda essa mistura de culturas constitui hoje a nova população de Maurício.

A independência de Maurício só foi reconhecida em 1968 e o Sir Seewosagur Ramgoolam se tornou o primeiro-ministro. Mas, a ilha ainda faz parte do British Commonwealth, uma associação de 53 países com ligação histórica com o Reino Unido e que oferece programas para desenvolvimento sustentável e suporte da democracia e direitos humanos. Além disso, segue o sistema parlamentarista de governo dos britânicos conhecido como Westminster. Em Maurício, são 62 membros do parlamento, as eleições acontecem a cada cinco anos e o presidente é o líder do Estado, mas o poder constitucional está centrado na figura do primeiro-ministro e seu gabinete. Só em 12 de março de 1992, Maurício se tornou uma República.

Para viajar para as Ilhas Maurício, cidadãos brasileiros precisam de visto, que poderá ser obtido na chegada ao país e ele garante uma permanência de 90 dias, tanto para viagens a turismo ou negócios. Entretanto, antes de viajar certifique-se que:

  • Seu passaporte tem validade mínima de 06 meses a partir da data de embarque e que contenha ao menos quatro páginas em branco;
  • A data da passagem de retorno não pode ultrapassar 3 meses e o ticket deve ser apresentado na chegada à ilha;
  • É imprescindível apresentar o Certificado Internacional de Vacinação contra Febre Amarela, que comprova que a vacina foi tomada pelo menos 10 dias antes da data de embarque.

Quem precisar estender o visto deve entrar em contato com a Embaixada ou Consulado de Maurício, na ilha. Endereço: Sterling House, 11-19 Lislet Geoffroy Street, Port Louis, Tel: (230) 210-9312 ou 210-9317/ Fax: (230)210-9322.

Ao redor de Maurício existes 49 ilhotas, sendo que 7 delas foram proclamadas reservas naturais e 8 são parques nacionais. Esses pequenos pedaços de terra cercados pelo Oceano Índico guardam os últimos resquícios da floresta nativa, abriga colônia de pássaros marinhos, além de várias espécies de répteis que estão ameaçadas de extinção no país.

Em Maurício, na ilha principal, a grande atração é o Black River Gorges National Park. Seguir as trilhas do parque é uma grande experiência e oportunidade fotográfica, além de ter contato com a natureza selvagem, o visitante encontrará inúmeras cachoeiras e lindas paisagens. O parque possui uma área protegida de 16.680 hectares e tem como objetivo preservar os ecossistemas das gargantas da Riviére Noire, ou Black River (Rio Negro). Nesta área ainda há vegetação nativa e toda essa riqueza é motivo de orgulho, já que se estima em um terço a percentagem das espécies que são endêmicas da ilha e não existem em nenhum outro lugar do mundo. São mais de 315 espécies nativas e flores endêmicas e ainda nove espécies de pássaros exclusivos do país.

Para mais informações sobre os parques e reservas naturais, acesse: http://npcs.gov.mu/English/Pages/default.aspx

A geografia do país é muito interessante, a sua origem vulcânica presenteou o lugar com contornos rochosos entre montanhas e vales. Não só as inúmeras praias enchem os olhos, mas todo o conjunto de belezas naturais torna o destino inesquecível.

 Uma ilha paradisíaca e exótica para todas as idades, em qualquer época do ano tem sol e calor, a temperatura da água é morna e é possível não só descansar, ser bem servido, como também se aventurar nos esportes aquáticos (mergulho, surfe, caiaque, entre outros) ou nas trilhas dos parques nacionais.

Não faltam opções de hotéis e resorts com grande estrutura, alto padrão de qualidade e atendimento que oferecem várias atividades nas suas dependências ou na costa de Maurício.

É possível explorar tanto a terra quanto o mar. Um dos atrativos é a caminhada inusitada no fundo do mar entre peixes e corais. Não deixe de presenciar o colorido e as belezas escondidas no Oceano Índico. Também existem opções de passeio de barco com fundo de vidro para quem não curte mergulhar.

Velejar pelas águas cristalinas, com tons turquesa e esmeralda, é fascinante. Mas é muito melhor quando existe a possibilidade de parar nas minúsculas ilhas desertas na costa de Maurício e conhecer os encantos de cada uma delas.

O interior da ilha também esconde belezas naturais. A incrível vegetação tropical, as cachoeiras na paisagem montanhosa, os canaviais e as aldeias encantam qualquer visitante.

Maurício abriga um dos 10 jardins mais bonitos do mundo: os Jardins de Pamplemousses. Declarado Patrimônio Nacional, é o habitat de 500 espécies de plantas, incluindo a famosa Talipot, que floresce somente quando a palmeira tem entre 40 e 70 anos de idade e morre num intervalo de cinco anos.

Um caldeirão de etnias, religiões, sotaques, sabores, cores, convivem de forma harmoniosa e atraem os os turistas que desejam conhecer a diversidade local, os detalhes históricos e culturais do país. Uma dica é visitar o Museu da História Nacional (www.mauritiusmuseums.org).

Além de abrigar o porto mais importante, a capital Port Louis oferece mercado municipal, bons centros de compras, ótimos restaurantes regionais e vida noturna agitada com shows nos clubes e os cassinos estão sempre cheios de gente.

Trilhas pela floresta do Black River Gorges National Park é uma atração imperdível. O turista encontrará plantas indígenas, pássaros, muita vida selvagem, cacheiras e ainda a maior montanha de Maurício.

Vanilla Crocodile Park, situado em Riviére des Anguilles, é conhecido como o Parque dos Crocodilos e das Tartarugas Gigantes. Ele é pequeno, porém concentra milhares de crocodilos do Nilo. As crianças gostam ainda mais porque podem subir e passear nas tartarugas. Recomenda-se estar no parque às 11h, justamente no horário de alimentação dos crocodilos.

 Localizado no distrito de Rivière Noire, o Casela Bird Park tem uma área de 25 hectares e abriga mais de 140 espécies de aves de todos os cinco continentes. Outras atrativos são: tanques de peixes, tigres, tartarugas, macacos, veados e orquídeas.

Uma ilha paradisíaca e tropical pede roupas casuais, confortáveis. Itens que também não podem faltar na mala: protetor solar, chapéu, óculos de sol, chinelos, trajes de banho, repelente e câmera fotográfica. Camisas com proteção UV são muito úteis para enfrentar muito calor e óculos de mergulho. No inverno (junho a setembro) é recomendado levar casacos mais leves para o final da tarde quando esfria.

Como Maurício é um país que permite o culto de várias religiões, vale lembrar a utilização de roupas apropriadas para visitar locais religiosos e, em sinal de respeito, é importante remover os sapatos e cintos na entrada dos templos.

Quem pretende alugar um carro na ilha precisa levar a carteira internacional de habilitação e saber que a direção do trânsito é na mão inglesa, além disso, as vias são estreitas, a maioria com uma pista apenas e sem acostamento.

Uma sugestão é alugar uma bicicleta, que custará, em média, 8 dólares por dia e proporciona um contato maior com a natureza. Mas, para longas distâncias o mais recomendado mesmo são os táxis, que possuem preços padronizados. Os ônibus são opções mais populares, mas não chegam em determinados locais, e não estranhe a música alta e a decoração porque variam conforme o gosto do motorista.

A rúpia mauriciana (MUR) é a moeda local, que está dividida em 100 centavos. As moedas variam de 1 centavo a 5 rúpias e notas de 10 a 2.000 rúpias.

As moedas estrangeiras como Euro, Dólar são mais fáceis de serem trocadas nos bancos, hotéis credenciados e casas de câmbio. Em geral, o horário de funcionamento dos bancos é das 9h30 às 14h30 e aos sábados até 11h30.

A maioria dos cartões internacionais são aceitos nos estabelecimentos comerciais, uma dica é verificar com seu banco antes da partida se o saque internacional é mais barato do que as operações de crédito. Às vezes compensa mais desbloquear o cartão de crédito para saques na ilha. Tenha sempre em mãos dinheiro, especialmente nos mercados locais ou para comprar algum produto dos vendedores que circulam freqüentemente nas praias.

Um imposto de 15% sobre a circulação de mercadorias (VAT) é adicionado ao preço da maioria dos produtos e serviços, inclusive nos hotéis e restaurantes. Fique atento que nem todas as lojas possibilitam a devolução do imposto, por isso, durante as compras verifique se o estabelecimento tem alguma placa ou cartaz escrito “Tax Refund”.

 Para receber o VAT é preciso ter notas fiscais de no mínimo 300 rúpias mauricianas e preencher um formulário. Guarde todas as notas fiscais e apresente os produtos comprados no aeroporto já na saída de Maurício para obter o dinheiro de volta.

Para mais informações sobre o procedimento, acesse: http://www.touristrefund.org/faq.php

É necessário apresentar o Certificado de Vacinação Internacional contra a febre amarela na entrada do país. Não há risco de contrair a doença na Ilhas Maurício, mas o Brasil está situado numa área de risco da doença e, por isso, cidadãos provenientes do Brasil devem mostrar que estão imunizados.

Fique atento às restrições de compras no Duty Free de Maurício. Passageiros com mais de 18 anos podem obter 250 gramas de tabaco (incluindo cigarros e charutos), 1 litro de bebida alcoólica, 2 litros de vinho ou cerveja, 250 ml de produtos Eau de Toilette (pós-banho, pós-barba, por exemplo) e perfume não pode exceder 100ml.

Recomenda-se o consumo de água mineral engarrafada, pois a água das torneiras é semi-salgada.

Ilhas Maurício tem uma diferença de 7 horas a mais no fuso horário em relação ao Brasil.

A voltagem do país é 220 volts, por isso, programe-se caso precise levar adaptador universal.

Ao visitar locais religiosos use roupa apropriada e na entrada de templos remova sapatos e cinto, em sinal de respeito. A maioria da população é hindu, mas existem católicos, islâmicos, budistas, entre outras religiões.

Casais que adquirem pacotes especiais de lua de mel precisam apresentar a certidão de casamento no check-in do hotel.

O seguro viagem é essencial e precisa ser adquirido antes da partida. Ele deve cobrir acidentes pessoais e custos médicos. Caso tenha plano médico, consulte as opções de cobertura internacional e todas as condições de uso antes da viagem.

Por ser uma ilha vulcânica no meio do Oceano Índico, a fauna do país é limitada a alguns pássaros e répteis, os únicos mamíferos locais são morcegos e não há anfíbios. Vale ressaltar que várias espécies animais foram introduzidas na ilha ao longo do tempo.

O Dodô, ave simbolizada no brasão do país, existiu apenas em Maurício e foi extinta pelos navegadores holandeses. O animal perdeu o poder de voar pela abundância de alimentos encontrados na ilha e ao ficar pesado tornou-se presa fácil para o homem. A extinção da ave, 80 anos após sua descoberta, transformou-a em símbolo mundial contra espécies ameaçadas de extinção.

O lago de Grand Bassin, localizado na parte sul de Maurício, é formado numa área de vulcão extinto. Ele é considerado um lago santo para os hindus da ilha, que visitam o local em procissão, sempre no início de fevereiro.

Na região do Rio Negro, os turistas visitam as cascatas e lá há um fenômeno natural interessante conhecido como terra colorida. O basalto da lava vulcânica, submetido a arrefecimento súbito pela ação da água fria, deu origem a segmentos de terra de diferentes cores, que variam do ocre até ao vermelho escuro.

Graças à presença dos indianos, é comum caminhar pelas ruas e sentir o perfume do açafrão e da canela, que remetem à Índia.

Creole dish”, é um prato típico crioulo, que pode ter como base carne ou marisco, e é servido com um acompanhamento de molhos tradicionais. O “rougaille” é também uma especialidade da região, geralmente feito com peixe ou camarão e o molho é preparado com tomate, cebola, alho, pimenta, gengibre e ervas.

Ilhas Maurício, Líbia e Seychelles formam o grupo de países do continente africano com Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) considerado alto. Maurício está à frente do Brasil no ranking.

Entre as compras típicas na Ilhas Maurício estão: chá de baunilha e rum, geléias de frutas.



Planeta
África